AÇÃO CONJUNTA, CPRE E POLÍCIA AMBIENTAL GARANTE O SOSSEGO DA COMUNIDADE DE CAMPO DE SANTANA EM NÍSIA FLORESTA

CPRE: 3ºGPRE/1ºDPRE- Nísia Floresta

19 de novembro de 2017

No início da madrugada de hoje a Polícia Militar, por meio do CPRE e da CIPAM, realizaram mais uma incursão na comunidade de Campo de Santana, zona rural da cidade de Nísia Floresta, com o intuito de garantir o sossego público.

O local já tinha sido alvo de fiscalização para coibir a poluição sonora há poucos dias, oportunidade em que os responsáveis foram alertados acerca do prejuízo que estavam causando a saúde mental de idosos e crianças, em especial.

Diante da informação de que se teria um outro festejo na localidade com a presença de paredões automotivos , foi realizada nova fiscalização, constatando-se , por meio de decibelímetro, que a pressão sonora estava sendo violada em 83( oitenta e três) decibéis acima do limite máximo permitido por lei.

Diante dos fatos, Romério Mendonça, 23 anos, natural de Canguaretama, responsável pelo evento, foi submetido a um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) , por perturbação do sossego alheio, que será remetido ao Ministério Público e posteriormente ao Judiciário.

No início da madrugada de hoje a Polícia Militar, por meio do CPRE e da CIPAM, realizaram mais uma incursão na comunidade de Campo de Santana, zona rural da cidade de Nísia Floresta, com o intuito de garantir o sossego público.

O local já tinha sido alvo de fiscalização para coibir a poluição sonora há poucos dias, oportunidade em que os responsáveis foram alertados acerca do prejuízo que estavam causando a saúde mental de idosos e crianças, em especial.

Diante da informação de que se teria um outro festejo na localidade com a presença de paredões automotivos , foi realizada nova fiscalização, constatando-se , por meio de decibelímetro, que a pressão sonora estava sendo violada em 83( oitenta e três) decibéis acima do limite máximo permitido por lei.

Diante dos fatos, Romério Mendonça, 23 anos, natural de Canguaretama, responsável pelo evento, foi submetido a um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) , por perturbação do sossego alheio, que será remetido ao Ministério Público e posteriormente ao Judiciário.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *