MARGARETH GONDIM : UMA DELEGADA DESTEMIDA.

RELATO DE UM REPÓRTER POLICIAL:

A Delegada Margareth Gondim, ao lado da amiga e Secretaria de segurança pública Sheila Freitas, pousa para mais uma homenagem e  diz que um dos momentos mais difíceis da sua vida, foi quando precisou se aposentar. “Por mim, eu trabalharia na Polícia Civil até o fim da minha vida. Sou policial civil com muito orgulho. Eu poderia ter feito concurso para qualquer outra coisa, mas escolhi ser policial civil” Fundadora da  Delegacia de Defesa  das Mulher,   mesmo com pouca estrutura, pouco efetivo, desvendava junto a sua equipe vários casos, destemida como sempre, ela moralizava o estado do rio grande do norte. na Década de 80 e 90, existia apenas como presidio,  a colônia penal e agrícola Dr. João Chaves , pavilhão masculino e feminino. E era prá lá que existia na época a lei da cadeia , quando Margareth prendia estupradores , a cadeia fervia, o acusado passava a ser pelos próprios presos, sentenciados. daí,  nota-se,  que aparentemente as cadeias públicas como nos dias de hoje, praticam o justiçamento. eles não aceitam o estuprador em pavilhões.

Hoje, o que predomina na rua, é  o desrespeito  as mulheres, com a aposentadoria da Delegada destemida, o aumento de indivíduos covardes , travestidos de companheiros, cresceu, como cresceu a violência contra ela.  além da violência sexual, brutal, infelismente deixa traumas no  lado lindo  e manhoso  do sexo feminino.

ah!  que saudade da Policia de Margareth Gondim.

por Genésio Pitanga

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *